«Qual é o objectivo de correr? Nenhum, apenas quero continuar a correr. Não tenho outra finalidade além da de continuar a correr enquanto puder. Corro para viver. Não posso viver de outra maneira.»
Quarta-feira, 27 DE Maio 2009

O dia começou ainda noite. 4h30m toca o despertador. Levanto-me e começo a preparação: pensos-rápido para os mamilos, fita polar no peito, vaselina nos pés e virilhas. Meias bem postas. Calções de licra (com reflectores). Camisola manga curta.

Apesar das horas tive direito a que me preparassem o pequeno-almoço. Panquecas com manteiga e marmelada.

Conduzo para o ponto de partida, o Relvão, a esta hora (5h00m) está mais trânsito do que eu imaginava e além disso os condutores estão cheios de adrenalina (e outras coisas). Tomo a decisão de adiar um pouco a partida. No rádio do carro ouço “gaivota” em três músicas diferentes, na voz da Amália Rodrigues, na voz da Dulce Pontes e na voz da Sónia Tavares. Qual a melhor?

Por ser noite quase esqueci o protector solar. Ainda a tempo besuntei-me com factor 50+ que bem me protegeu durante o dia. Eram 5h40m quando comecei a correr em direcção à Baía da Salga.

Mochila às costas. Garrafa com Isostar na mão. Vou vendo o amanhecer diferente enquanto não penso muito naquilo que faço. Olho para o cronómetro e confiro o passo: muito rápido, mas não consigo evitar. Estou fresco, o dia está fresco. Deixo-me ir.

Baía da Salga. (1h20m, 13Km) Tempo para tirar da mochila uma barra de cereais e um pacote de gel. Muito facilmente como os cereais e o gel, já em direcção ao Porto Martins.

Aparece o Joel, bicampeão nacional de Kicboxing, que me vai abastecendo em pontos chave ao longo do percurso.

Neste percurso esperava-me umas grandes subidas. E lá as fiz. Muito rápido, dizia eu de mim para mim, vou pagar isto mais à frente (e se calhar paguei). Mas o importante aqui foi a recuperação. Com pouco mais de 1h30m de corrida tinha recuperado a minha força mental. Agora tinha a certeza que ia conseguir (desde que não fosse atropelado).

E lá prossegui, as horas a passarem-se, os quilómetros também. O Filipe (continental) telefonou: «Força pá!» Energia melhor que o gel energético.

Vila Nova. (4h, 40Km) Metade da ilha corrida, já só falta metade, a pior metade, mas isso não é para pensar agora. Troco de calções e de camisola. Encho os depósitos de água e Isostar e continuo rumo às Quatro Ribeiras.

Preciso de mais forças, convoco a minha deusa.

Podiam ter feito isto plano. Sempre grandes subidas (é bom para os músculos) e grandes descidas (é bom para as articulações). Depois dos Biscoitos melhora, pensava eu cheio de esperança, mas não, é sempre a subir, embora menos inclinação.

E foi assim, sem muitas dores, mas sempre a subir, até à mata da Serreta, onde a minha sobrinha Joana me fez uma visita. Estive uns 20 minutos parado. Não sei se foi bom ou mau para as pernas.

É que a partir daqui tudo foi mais doloroso.

Agora é que dói a sério. Agora é que vou ver de que matéria sou feito.

O meu amigo volta a telefonar. «Ainda te consegues rir é porque ainda tas bom!» Eu é que já não sei o que é rir e o que é chorar.

Prá frente é que é o caminho. Tantas nuvens no céu e nenhuma se meteu à frente do sol.

Subida da Serreta. (7h, 60Km). Esta subida não era tão grande nem tão comprida, esticaram-na e inclinaram-na especialmente para mim. Que queridos.

Acabo todas as reservas. Por causa do cansaço, do calor e sei lá mais o quê, já não consegui comer mais nada, até o gel energético me dava vómitos. Faltavam uns 25 kms. Uns longos e compridos 25 Kms.

Doze Ribeiras. (8h, 70Km). A passada caí de ritmo vertiginosamente. Começo a andar a mais de 6 min/Km. E a partir do quilometro 78 a mais de 7min/Km.

Cinco Ribeiras. (74Km, 8h30m). Pensamentos filosóficos profundos: quem deu o nome a estas terras tinha falta de imaginação: “Quatro Ribeiras”; “Doze Ribeiras”, “Cinco Ribeiras”.

Aparece agora o Eliseu, disposto a correr comigo os últimos quilómetros. Rebocador de luxo, campeão Açoriano de K1 Kayak-Mar por 8 anos consecutivos e três vezes campeão nacional de K2 Kayak-Mar. Vamos ao meu passo (claro) que mais parecem passinhos de bebé.

A parte mais complicada do percurso, com o aproximar da cidade de Angra aumenta exponencialmente o trânsito. Quase que fui atropelado.

Meta à vista, cumprido o objectivo. “Eu não desejava a vitória, mas a luta.” (August Strindberg)

Paro o cronómetro.

Data: 24.05.2009 05.40

Nome: Volta à Ilha Terceira

Duração: 09h40m08s

Calorias: 6857 kcal

Distância: 82,830 km

Velocidade méd: 8,57 km/h
Velocidade máx: 14,4 km/h
Ritmo méd: 07:00 min/km
Ritmo máx: 04:10 min/km

FC média: 146 bpm

FC máxima: 176 bpm.

 

Agradeço à equipa de apoio, sem eles não tinha conseguido chegar a meio.

Durante esta aventura bebi uns 6 litros de água, uns 2 litros de Isostar, 5 pacotes de gel (70 ml), mal comi 3 barras de cereais e meia dúzia de bananas.

Agora é tempo de assimilar conhecimento, ver o que podia ter corrido melhor e depois pensar o próximo desafio…

Até lá, boas corridas.

Ricardo às 23:20
Parabéns Campeão.

O próximo desafio.... Ultra provas é o que não falta, é só ires ao forum do mundo da corrida, espero por ti um destes dias...é claro que não tenho essa pedalada, mas sempre te posso acompanhar na parte final que é mais o meu ritmo...hehehe

JCBrito
José Brito a 28 de Maio de 2009 às 09:07
Olá Brito,
Um dia destes apareço num trail, mas sabes que não é fácil.
Neste momento acho que temos mais ou menos a mesma pedalada. Ia depender do dia.
Ricardo a 28 de Maio de 2009 às 12:08
Excelente relato, amigo Ricardo, que nos permitiu acompanhar esta grande aventura por dentro e imaginarmo-nos a fazer parte dela.
E os resultados foram muitíssimo bons !!!! Parabéns, pois um feito destes está ao alcance de poucos.
Só não percebi é se se tratou de uma prova com mais participantes, ou da realização de um desafio pessoal em dia e hora determinado por si. De qualquer das formas foi uma aposta SUPERADA, a merecer os nossos aplausos.
Grande abraço.

FA
Fernando Andrade a 28 de Maio de 2009 às 09:22
Olá Fernando,
Foi uma aventura pensada por mim há alguns anos atrás, já não sou o primeiro a fazer isto, mas não é nenhuma prova oficial.
Ricardo a 28 de Maio de 2009 às 12:05
Ricardo,

Parabéns pelo impressivo relato que nos mostra bem a tua capacidade de sofrimento, de sacrifício, mas também a tua determinação e vontade férrea de superar o objectivo.
Pelo que li a tua aventura foi acompanhada por alguns bons amigos que te ajudaram em termos logisticos e, essencialmente, em termos anímicos. De certeza que foram fundamentais!
Felizmente que não houve percanços a registar e conseguiste completar a volta à ilha. Numa análise mais "a frio" irás, certamente, descobrir coisas que poderias ter feito de outra forma ou como poderias ter doseado melhor o esforço. De qualquer forma o importante é teres conseguido alcançar o teu objectivo! Como em tudo na vida, mais do que teorias perfeitas, o importante é FAZER coisas. Essa já está feita e é grandiosa!

Um forte abraço
MPaiva
Miguel Paiva a 28 de Maio de 2009 às 09:33
Miguel,
Apesar de não mencionar isso no relato (gosto de escrever, mas não escrevo grande coisa) muita motivação vim buscá-la aqui aos comentários e palavras de apoio que iam deixando neste blog. Por isso a minha vontade, determinação e mesmo a capacidade de sofrimento e sacrificio tiveram muita ajuda de todos os comentadores.
Ricardo a 28 de Maio de 2009 às 12:24
Ricardo
os nossos renovados parabéns pela conquista, sendo um desafio pessoal (e não uma prova) ainda tem um maior significado (opinião pessoal é claro).
Excelente relato meu amigo, pena a distância que não permitiu que alguns de nós estivessem a correr ao teu lado, em pensamento decerto que tiveste muitos contiigo mas no terreno valeram-te os companheiros que referes no relato.
Grande abraço e claro muito obrigado por partilhares aqui neste teu espaço esta tua grande aventura, inspirador.
Grande abraço,
Família Almeida

António Almeida a 28 de Maio de 2009 às 14:49
Amigo António,
E fez diferença a companhia mesmo em pensamento. E estou agradecido por isso.
Ricardo a 28 de Maio de 2009 às 18:01
Ricardo....és demias!!!Devias ganhar um prémio....por ser capaz de correr tanto....correr por correr...sem ganhar nada...além de umas pernas musculadas e de poder comer hamburguers e essas coisinhas boas todas à vontade...lol!!Enfim...tive pena de não fazer parte da equipa de apoio...só para te ver a correr e pensar antes tu do ke eu!!lol!!mas continua assim...não te eskeças é de fazer tb outras coisas.....pk a vida não pode ser só corrida....lol!!bjx..
Miriam a 28 de Maio de 2009 às 16:39
Querida Miriam,
Tens que começar a correr para perceberes o quanto eu ganho numa corrida. A vida não é só corrida, mas (para mim, claro!) sem corrida não há vida.
Ricardo a 28 de Maio de 2009 às 18:08
Muito parabéns por esse feito... que visto daqui parece algo verdadeiramente audaz e corajoso.

Rui
Rui Pena a 29 de Maio de 2009 às 09:08
Rui,
Realmente foi audaz e corajoso, mas foi também com uma boa dose de loucura. E fazendo uso da citação do blog "a vida a correr": "Não tenho nenhuma coragem, mas procedo como se a tivesse, o que talvez venha dar ao mesmo." Gustave Flaubert ).
Ricardo a 31 de Maio de 2009 às 01:26
Olá Ricardo,
Inspirador
Arrasador
Grandioso
és um verdadeiro e exemplar guerreiro.
só de ler a crónica apetece correr um bocado - mas não tanto, para já.
desafios? não devem faltar. quem se auto-desafia para fazer 82 km, não precisa de muito para se voltar a auto-desafiar.
és um ultra, não apenas em quilómetros, mas sobretudo, na atitude e no exemplo.
parabéns e Obrigado pelo estímulo.
Abraço
AB - Tartaruga
António Bento a 29 de Maio de 2009 às 23:04
Olá António,
Fico agradecido pelo teu comentário. Isto faz-me bem ao ego.
Ricardo a 31 de Maio de 2009 às 01:37
Amigo Ricardo.
Já é dificil em prova fazer uma coisa dessas e fico a pensar que tipo de motivação o levou a fazer esta extraordinária aventura em volta da Ilha. É que não foi só a corrida no dia 24/5, foi também toda a programação para chegar aí, desde os treinos até à logística pensado e executado com método, responsabilidade e disciplina.
O relato está muito bom e esclarecedor, revela algumas fragilidades do nosso corpo ao esforço que lhe é exigido, para mim são dicas muito importantes para quando enfrentar o desafio da Areia no dia 26/7 em Melides, mas ali ao contrário do Ricardo vamos ter muita companhia por perto e é cerca de metade da distância.
Parabéns pelo feito e agora só espero que alguém agarre essa ideia e avance para uma iniciativa que envolva mais atletas nessa maravilhosa aventura. Não é impossível.
Abraço.
Joaquim Adelino a 30 de Maio de 2009 às 01:56
Amigo Joaquim,
Isto foi pensado por mim e pelo Filipe (o tipo que está no continente e me telefonou) já há uns bons anos atrás. Ele conhecia um tipo que já tinha feito isto e nós pensamos, meio a brincar, um dia fazer-mos.
E eu achei que este ano seria um bom ano.
A grande motivação foi este blog e o "para que não para" e o "maratonista" e o "palavras de corredor" e o "tomar a corrida" e o "entroncamento runners " enfim, todos aqueles que estão ali do lado direito e mais alguns (tenho que actualizar a lista de links ). Isto de aprender e trocar experiencias é altamente motivador. Posso garantir, se não fosse os blogs não tinha feito este desafio.
Obrigado amigo Ricardo pela diferência, fico muito satisfeito se o meu humilde espaço contribuiu de alguma forma para a concretização deste seu sonho.

Aquele grupo de amigos que mencionou é excepcional e eu diria também que tê-los por perto é altamente motivante, para as corridas e para a vida.
j
Um abraço e obrigado por partilhar conosco toda esta história.
Parabéns Menino Bonito!
Es realmente um Menino de grandes feitos.
Parabens mesmo, sei o quão foi importante para ti.
“Eu não desejava a vitória, mas a luta.” (August Strindberg)
Lindo!
AC
Ana a 1 de Junho de 2009 às 09:59
Olá,
Eu também faço maratonas e já fiz uma ultra, mas apenas de 45km, a do Gerês, que tens também como objectivo (acho que ainda tens). Moro em Sintra, mas conto brevemente morar na Terceira. Gostei muito desta ideia da ultra em torno da ilha. Penso que, se for para aí morar, como espero que aconteça, farei igualmente essa corrida, sozinho ou acompanhado.
Se quiseres repetir a proeza, eu estarei interessado.
A minha próxima maratona será em NY, no dia 1 de Novembro.
Um abraço.
ZM
Zé Maria a 17 de Setembro de 2009 às 13:37

Ultra-Maratonas

Volta à Ilha Terceira (83Km)
24MAI09 | 9h40m08s

Maratonas

Maratona do Porto
21OUT07 | 3h43m14s

Maratona de Lisboa
07DEC08 | 3h35m58s

Maratona do Porto
08NOV09 | 3h33m11s

Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
19
21
25
26
28
29
30
mais sobre mim
últ. comentários
Q BOXTA EM...
Felípides quero dizerkwq6th8
blogs SAPO